top of page

Uma combatente do IRA em ação? Conheça a história por trás desta imagem icônica

Atualizado: 19 de nov. de 2022


Foto de Colman Doyle (Entre 1970-1979) National Library of Ireland: Catalogue

A foto de uma mulher se protegendo atrás de uma parede enquanto atira com um fuzil foi largamente compartilhada nas redes sociais no final de 2019 e voltou a ser viral recentemente. O texto que acompanha a imagem, obviamente sem autor ou fonte para pesquisa, diz que a fotografia foi tirada em 1972, na Irlanda, e se trata


de uma garota atirando na arma do seu namorado ferido em uma batalha contra o exército britânico (sobreviveu depois de ser transportado para um lugar seguro, coberto pela sua namorada, quem enfrentou os soldados britânicos até ser Assassinada).Quando o comandante do batalhão inglês descobriu que tinham lutado contra uma mulher, ordenou aos seus soldados que não tocassem o seu cadáver e permitiu que os irlandeses a enterrassem. Estes ouviram o comandante inglês exclamar; -"a rainha não se preocupa com nós como esta mulher se preocupou x seu homem e sua terra". A foto foi escolhida para o dia da mulher na Irlanda, ao lado da frase: " não tenha medo de estar associado com uma mulher forte. O dia pode chegar e ela será o teu único exército (Desconhecido)

Quem escreveu o texto?

A história é realmente muito chocante e excessivamente romantizada, algo que por si só já nos levanta a suspeita sobre a sua veracidade. Talvez a razão da existência desse tipo de publicações seja nos motivar e atiçar algum espírito revolucionário em nós, afinal vivemos tempos sombrios. É praticamente impossível determinar a origem deste texto. O que se sabe é que parece ter começado a circular na Inglaterra e depois migrou para outros países. É possível encontrar versões em inglês e espanhol do mesmo texto.


Quem tirou a foto? Quem é a mulher?

A foto é verdadeira, e foi tirada pelo fotógrafo irlandês Colman Doyle em Belfast entre 1970 e 1979, segundo o catálogo do autor no site da Biblioteca Nacional da Irlanda.

O site de verificação de fatos “Snopes” conversou com o fotógrafo em abril deste ano para tentar descobrir a identidade da mulher que viralizou na internet, no entanto, obteve uma resposta decepcionante. Segundo Doyle, que já passa dos 80 anos, não há como saber quem é a tal mulher, já que mal se lembra da ocasião. Disse que foi


atrás desta jovem mulher que disparou dois tiros, eu acho.... depois ela simplesmente desapareceu.

O site também conversou com o historiador Niall Gilmartin para tentar esclarecer algo sobre a misteriosa foto. Gilmartin estuda a participação das mulheres nos conflitos entre o IRA e o exercito britânico, e diz não ter dúvida de que a foto foi produzida


É quase certo que esta é uma foto publicitária produzida, e não um tiroteio... O IRA criava várias amostras de força, nem sempre para câmeras, mas frequentemente apenas para a comunidade local.

Na mesma foto em um anglo mais aberto é possível ver outra mulher

Esta informação de Gilmartin é corroborada por outro historiador irlandês John O’Neill que diz que

há uma série destas imagens que incluem a mesma figura feminina em vários cenários...

O que sugere que foi uma cessão publicitária?


Um cartaz de propaganda do IRA de 1974 mostra três mulheres revistando um homem e a mulher da direita parece ser a mesma que aparece na foto de Doyle. Segundo o fotógrafo, não foi ele que fotografou essa imagem do cartaz, no entanto, segundo o site RTE, Doyle tinha certa proximidade com Martin Meehan, comandante do IRA na ocasião e que permitia que Doyle tirasse fotos de seus combatentes.

De fato podemos encontrar algumas outras versões de fotos em que aparecem a mesma mulher de jaqueta de couro e saia estampada com o que parece ser bolinhas brancas, juntamente com outras em poses diferentes.


A verdade é que talvez nunca saberemos quem é a misteriosa mulher que enche as redes sociais com uma história heroica que nunca aconteceu.



Fato é que a imagem correu o mundo propagando a mesma mensagem e ilustrou livros, canecas e camisetas e nem mesmo sabemos se a mulher em questão já morreu ou ainda está viva morando em alguma cidadezinha pacata da Irlanda, quem sabe? Isso nos deixa com uma reflexão a fazer.


O quão confiável é a internet?


Pessoas compram histórias facilmente, negligenciando a pesquisa e os fatos em si. Colman Doyle, o fotógrafo que foi responsável por eternizar essa imagem heroica de uma mulher guerrilheira supostamente em combate, disse que a história fabricada ligada a sua fotografia

é um bom exemplo de toda imundice que sai na internet entre todo o resto.”
Image via Dieter Reinisch

Talvez alguém possa dizer que não importa quem é a mulher da foto, nem mesmo se é uma foto de um combate real ou de alguém fingindo estar combatendo, mas sim o que ela representa para quem a tem como elemento motivador e causador da ação. O que acham?








Para saber mais:


· Ejecentral – Irlanda elogio esta foto para conmemorar el Día de la Mujer – https://www.ejecentral.com.mx/irlanda-eligio-esta-foto-para-conmemorar-el-dia-de-la-mujer/



· Snopes – Is This an IRA Fighter Defending Her Fiancé?- https://www.snopes.com/news/2020/04/30/ira-woman-with-rifle-in-belfast/


· Female IRA fighter, 1970s – Rare Historical Photos - https://rarehistoricalphotos.com/female-ira-fighter-1970s/


· Rise to peace – Women of the Irish Republican Army: Powerful or Powerless? https://www.risetopeace.org/2019/07/10/women-of-the-irish-republican-army-powerful-or-powerless/smatassa/



André Stanley é escritor e professor de História, Inglês e Espanhol, autor do livro "O Cadáver", editor dos blogs: (Blog do André Stanley, Stanley Personal Teacher). Colaborador do site especializado em Heavy Metal Whiplash. Foi um dos membros fundadores da banda de Heavy Metal mineira Seven Keys. Também é fotógrafo e artista digital.

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page